RÓTULOS
por Lucilla- meridius@superig.com.br

"Um dos grandes sinalizadores do engano no chamado Caminho é o apego, sutil ou ostensivo, às prerrogativas dos rótulos terrenos.

Que ninguém se arvore em douto ou autoridade naqueles assuntos que dizem respeito à trajetória infinita da alma humana, tomando como parâmetro titularidades terrenas de qualquer ordem, porque, nos níveis mais elevados da vida, o distintivo maior, sempre, e em qualquer circunstância, será a capacidade do ser para se harmonizar espontaneamente com as grandes Leis da existência, através da sintonia com as coisas de Deus e, por conseguinte, com seu próximo.

Os avanços da ciência terrena, nada obstante portadora de valor até certa medida, de há muito vem atendendo ao padrão de uma mentalidade lucrativa, que visa muito pouco além da produção de meras comodidades, sem um interesse real de dirimir os males seculares que flagelam os seres humanos, no seu percurso no âmbito material. As titularidades profissionais, que deveriam estar voltadas ao bem estar das pessoas, nos tempos de consumo selvagem que correm, visam, antes, e prioritariamente, os requisitos do lucro, naquelas áreas e setores em que as necessidades decorrem da situação de miséria e precariedade da saúde, e das condições indiscutíveis de todos ao direito à sobrevivência e à dignidade.

Sem embargo, a qualquer um de retorno das lides materiais terrenas, será perguntado, em primeiro lugar, não qual título acadêmico ou profissional foi ostentado, inutilmente, no decorrer do curto período de aprendizado na vida física; mas antes o que foi feito em favor do semelhante com as prerrogativas destas atribuições. Será vista a intenção última que mobilizou cada atitude: aquilo que, nas dimensões espirituais, torna-se iniludível, e define a "impressão digital" mesma do ser.

De nada adiantarão as alegações dúbias ou superficiais deste ou daquele suposto benefício prestado à vida, se fica constatado, antes, o eivo indisfarçável da vaidade, ou a finalidade melíflua do lucro material como determinante primeira daquelas atividades que, sob as máscaras ilusórias das paisagens materiais, assumem feição benfeitora, mas de um benefício precário, estiolado para a melhoria real da qualidade da vida.

Alguém, aqui, alegará a especialização nos recursos de vanguarda das múltiplas teses de atendimento clínico, sob um custo elevadíssimo para aqueles que lhes recorreram ao concurso, sem, no entanto, nunca ter se dedicado a uma verificação detida e honesta da eficácia dos resultados daquilo que empreendeu aplicar na solução dos problemas do próximo; outro arvorou-se em pesquisador na área farmacêutica, sem o cuidado da apuração dos efeitos de suas realizações segundo as verdadeiras necessidades da saúde humana, e não em função dos interesses avultados da indústria de consumo dos remédios; ainda outro abraça determinada corrente assistencialista muito mais preocupado com as aparências dos postulados que adota perante as pressões e investimentos do sistema, do que com o benefício genuíno observado nos principais interessados que este ramo da iniciativa humana deveria atender.

A vida na matéria é minuto fugaz; uma vez com toda a eternidade diante de si, espontaneamente caem as máscaras, adotadas segundo as conveniências de momento, e atreladas à vaidade e ao egoísmo de grupos, ou de indivíduos. De maneira que, senão hoje, um pouco depois, naquela hora solene que a todos aguarda na confrontação com a vasta continuidade da vida, e uma vez despojados definitivamente dos suportes e parâmetros que definem a limitada vida corpórea, o que avulta à revelia, e de maneira inapelável, é quem, e o que, cada um de fato é.

Na vida maior, somos cada intenção, cada sentimento cuidadosamente ocultado das vistas alheias no sonho rápido de cada passagem terrena, cada expressão mais íntima e verídica do nosso ser; não o que "estamos", provisoriamente; não qualquer rótulo, de maior ou menor, e discutível, importância eventual. Não doutores, professores, esta ou aquela excelência; nossas possíveis aquisições catedráticas deparam-se com algo muito maior, que amesquinha toda e qualquer definição desta ordem.

Perante a vida mais vasta, infinita, seremos, pura e simplesmente, irmãos em trajetória, e filhos da Criação Suprema, em degraus mais ou menos avançados de alcance de consciência para com os elevados propósitos de Deus.

Caio Fábio Quinto,

pela psicografia de Lucilla

http://www.elysium.com.br