A CRIAÇÃO DA NOSSA TERRA
por Reinaldo Mariano de Brito - reisol777@yahoo.com.br

“Assim como é acima, é abaixo” é uma expressão muito conhecida. Toda manifestação física é precedida por alguma ação em níveis superior e internos.
A Terra não foi criada em seis dias – seis períodos de vinte e quatro horas – como declarado na Bíblia. Ela se manifestou por um longo período, como resultado de uma série de decisões e ações envolvendo, principalmente, os sete Criadores do nosso Sistema Solar. Esses criadores são chamados Elohim.

Após Hélios e Vesta decidirem se tornar os Deuses Pai-Mãe do nosso Sistema Solar, Eles tiveram que provar, através do direcionamento de Raios de Luz, que eles podiam irradiar energia concentrada o suficiente para, primeiro, criar um Sistema Solar e, depois, manter sues planetas numa certa posição orbital e sustentar a vida daí em diante. Hélios e Vesta passaram por tal iniciação; conseqüentemente, Alpha e Ômega os declararam responsáveis por tal Sistema.
O primeiro decreto criado por Hélio e Vesta foi “Faça-se a Luz”. Através do pensamento e do sentimento, Hélio e Vesta determinaram o tamanho dos planetas, suas localizações e o número de fluxos de vida que subsistiria em cada um. Isso poderia ser comparado com o nosso projetar uma cada e seus interiores.

Quando o padrão de Luz foi completado, Hélios e Vesta colocaram o projeto nas mãos da Veladora Silenciosa Cósmica que é responsável pela manutenção do padrão da nossa galáxia. O nome da Veladora Silenciosa Cósmica é Circulata, um Ser Feminino. Circulata absorveu o Padrão do Projeto e aceitou a responsabilidade de manter o Conceito Imaculado para cada planeta até a hora que Hélios e Vesta designassem a exteriorização de cada um. Os projetos continham os oceanos, mares, lagos, rios, terras, árvores, arbustos e outras vegetações, as montanhas e a atmosfera de cada planeta.
Quando chegou a hora de criar a Terra, a Veladora Silenciosa Cósmica entregou os projetos para a Veladora Silenciosa Planetária, cujo nome é Immaculata, um Ser Feminino também. Então Hélio e Vesta criaram os sete Elohim e os Devas que dirigiram aos Construtores das Formas. Encontrando-se regularmente em específicos intervalos de tempo, juntos Eles começaram a manifestar a Terra em forma física, usando o Padrão de Luz dado pela Veladora Silenciosa Planetária e também o sistema padrão para a criação de um planeta, um processo chamado “as sete etapas para a precipitação”.

Todos os planetas são criados usando-se a Lei da Precipitação. Precipitação, como é usada neste texto, significa manifestar uma coisa material de uma substância primeva, eletrônica e luminosa. Um exemplo da precipitação é Jesus alimentando os cinco mil, como está escrito nas Escrituras.
A Lei da precipitação foi usada durante a Era Dourada, a qual a Terra iria aproveitar mais tarde. Uma vez que a Lei Cósmica não se modifica, ela se aplica hoje do mesmo modo e qualquer indivíduo pode usá-la para seu benefício em seus afazeres diários.

Para melhor se compreender como a Lei da Precipitação funciona, é importante aprender, primeiro, a ação dos Sete Raios. Vários sites na Internet dão as características gerais de cada Raio. A ordem do Sexto Raio e Sétimo Raio foi invertida com o propósito da precipitação. Neste caso específico, Tranqüilidade, o Elohim do Sexto Raio, colocou a Terra concluída em movimento ao redor de seu Eixo, envolvendo-a em seu manto de Paz, sustentando a forma permanentemente. Esse eixo é uma corrente de energia, um Raio de Luz do Pólo Norte ao Pólo Sul. Neste momento a Terra assumiu seu correto lugar entre os planetas da galáxia, unido-se à Melodia Celestial da Música das Esferas.
Texto baseado nos Ensinamentos da Hierarquia da Grande Fraternidade Branca

Muita proteção e luz a todos!!!

Seja um Bom Médium.
Grande abraço,
EU SOU O EU SOU
Namastê
OMSG
02/04/08
SOL777