PROJETO GAIA 2012 - 6
por Reinaldo Mariano de Brito - reisol777@yahoo.com.br

Escrever sobre o Projeto Gaia é antes de tudo repassar conhecimento e ao mesmo tempo aprender cada vez mais. Os assuntos são variados, mas é importante termos conhecimento sobre todos eles para que possamos ter a visão geral do todo e realmente entender quem somos nós e o que é que esta acontecendo e ainda está por vir.


LIVRE ARBÍTRIO


A maioria das pessoas culpam tudo e a todos por suas desventuras na vida, já ao contrario, as pessoas mais espiritualizadas aceitam mais as situações por compreenderem o porque de algumas delas embora muitas vezes se sintam oprimidas por não terem um conhecimento claro da vida. Se existe alguém que mereça ser culpado pelas condições da sua vida, esse alguém é você mesmo e mais ninguém. Como já mencionamos, os seres humanos reagem às situações com base nas suas lembranças acumuladas do passado.

Tudo sobre o ser é resultado das experiências pelas quais passou. No entanto, as lembranças registradas na sua aura, que definem quem ele é, não se acumularam ao acaso ou acidentalmente. As experiências de certa vida, e da vida que se segue a esta, são fruto dos próprios planos da pessoa. Nesse sentido, o ser humano é um ser criado com base no seu próprio livre-arbítrio.
Espera-se que todos os seres da Terra sejam responsáveis por si mesmos. Ninguém esta aqui contra a vontade. Todos vieram à Terra por escolha própria e permaneceram aqui desde então. O próprio livre-arbítrio das pessoas se reflete no processo de aprendizado e não existe razão para culpar quem quer que seja. No planejamento de uma vida, tosa pessoa recebe sugestões de um conselheiro no plano espiritual, mas é ela própria quem basicamente planeja sua vida.
Na verdade, até depois do nascimento, todo ser tem a opção de não viver de acordo com o planejado ou não expandir a sua consciência como tinha em mente, uma vez que suas atitudes são definidas pelo livre-arbítrio. Os seres que chegam à conclusão de que não gostam do mundo material podem optar por permanecer no mundo espiritual, sem encarnar. Por este motivo, não há quem possa ser culpado ou responsabilizado pela vida de ninguém. O único responsável é a própria pessoa.


SIGNIFICADO DA EXISTÊNCIA

O mais fácil seria tecer comentários antes do universo para depois dos seres humanos, mas como a maioria não tem um conhecimento mais aprofundado da natureza humana, nestes artigos a ordem foi alterada para que pudéssemos chegar até o ponto em que estamos agora.
Até aqui foi debatido sobre vários aspectos dos seres humanos, da vida e seu significado, mas não debatemos sobre a natureza humana. Todos que buscam a verdade devem se sentir curiosos sobre sua própria existência e a sua entidade humana. A maioria das pessoas define a si própria com base na natureza física e compreende o ser humano em termos de corpo físico. Já as pessoas voltadas à espiritualidade aceita que a entidade humana não se extingue do dia para a noite, pois é um ser não material que nunca tem fim, que é chamado de espírito.
Mesmo que se aceite que a entidade humana é um espírito ainda pode restar algumas dúvidas acerca do que isto realmente significa e de como principiou. Existem varias opiniões a respeito deste assunto: que as almas foram trazidas quando da formação do universo numa enorme explosão, uma idéia paralela à teoria do Big Bang propagada pela física, também existe a idéia de que a entidade humana seja dividida numa parte substancial (o “Verdadeiro Eu”), e uma não-substancial (o “Falso Eu”).
As propriedades instintivas e negativas do ser humano foram chamadas de Falso Eu, enquanto as nobres e elevadas foram designadas de Verdadeiro Eu. No entanto esta classificação é muito subjetiva. Esta distinção entre o Falso e o Verdadeiro Eu resultou do desejo humano generalizado de não querer assumir a responsabilidade pelos próprios pensamentos e atos indesejáveis ou da tendência humana de jogar a responsabilidade nos ombros dos outros.

O jeito mais fácil de entender a natureza humana de todos os seres é vê-los do ponto de vista cognitivo. Todos os seres do universo, inclusive os seres humanos são cognitivos. A forma mais básica de cognição é a identificação de si próprio como um ser separado dos outros. Essa cognição aos poucos evolui até uma cognição mais complexa. Seres que possuem tais faculdades cognitivas podem ser chamados de corpos conscientes ou de consciência.


NASCIMENTO E A EVOLUÇÃO DA CONSCIÊNCIA

A maioria dos estudiosos da espiritualidade concorda que a mente é o sujeito da vida. Uma grande porção da vida humana é dedicada ao ato de pensar e tomar decisões. Um aspecto inclui característica passivas como as disposições de humor, as emoções, os instintos ou os sentimentos, que não podem ser controlados pelo Eu. O outro aspecto inclui as características ativas, que demonstram a vontade independente e inerente do indivíduo, e são geralmente designadas como consciência. A consciência pode ser definida como a faculdade que um ser tem de perceber o mundo e criar algo fora dessa percepção. Desse ponto de vista, a natureza do ser, inclusive a do ser humano, pode ser descrita como consciência.
O surgimento da consciência e o seu processo de proliferação reproduzem exatamente o modo como o universo se formou e se desenvolveu. Antes do próprio início do universo, havia um estado de absoluta quietude. Esse estado, existia sem nenhuma consciência, mas com o potencial para todas as idéias. Em certo instante, teve início um movimento muito sutil, rompendo o longo silêncio. E a energia iminente aos poucos foi se concentrando, formando um círculo que começou a girar. Com isso apareceu o primeiro poder sistemático.
Quando o poder sistemático começou a girar, o poder eminente começou a se concentrar em volta formando uma massa. A rotação se acelerou e o círculo foi ficando cada vez maior. À medida que o giro continuava, o primeiro poder sistemático se tornou um imenso círculo girando a uma velocidade incrível. Com o seu enorme poder de rotação, partes desses círculos foram se fragmentando até formar outros sistemas que também começaram a girar. Assim como aconteceu com o primeiro sistema, o poder e a velocidade de rotação dos novos sistemas aos poucos foram aumentando e, a certa altura eles começaram a criar outros círculos como ele. Por meio desse processo, um grande número de sistemas grandes e pequenos foi criado e começou a girar pelo universo.

O primeiro sistema representa o poder da Origem do universo e os demais que surgiram a partir dele representam uma consciência individual ou o poder criador da consciência. Depois de pôr em movimento os cinco primeiros sistemas, o primeiro sistema parou de girar. Os cinco primeiros sistemas que se formaram da Origem foram as primeiras consciências do universo.. Ou seja, eles são a consciência da Origem na décima dimensão. Todos os outros sistemas foram criados por uma ou mais destas primeiras consciências. Como o universo esta em contínua expansão, o número de consciências continua aumentando. Este é um breve resumo de como a consciência do universo surgiu e como depois ele se dividiu em tantas consciências.
O processo da criação propriamente dito de cada consciência, realizado pela primeira consciência, não é uniforme. Dependendo do seu propósito, da sua dimensão e das características que definirão essa consciência, existem diferenças em muitos aspectos – como quais os seres que estarão envolvidos, a importância do papel que cada um deles desempenhará e o tipo de processo que será levado a cabo.
Na criação do primeiro ser da nona dimensão, todos os cinco seres da Origem participaram do processo. O mesmo aconteceu na criação do ser sagrado para o projeto Gaia, embora o terceiro ser da Origem tenha liderado todo o processo. Em contrapartida, a maioria das consciências é criada por um único ser da Origem. Os seres da quarta dimensão e de dimensões inferiores a essa são criados em grupo, dependendo da necessidade do universo.
Por meio desse processo, consciências de muitas freqüências variadas foram geradas. E na mesma dimensão aqueles que foram criados primeiro tendiam a apresentar freqüências vibratórias mais elevadas. Embora cada consciência se expanda num ritmo diferente, que depende das preferências pessoais por novas experiências, aqueles que foram criados primeiro passaram por mais experiências e por isto se expandiram mais e tiveram mais chance de elevar a própria freqüência.

Todos os seres do universo expandem constantemente a sua consciência por meio de contínuas experiências. Como a consciência da Origem inclui todas as consciências, a expansão constante de cada consciência individual propicia a expansão da consciência da Origem e de todo o universo.
Alguém pode perguntar ou estar curioso sobre o que existia ou como surgiu o primeiro movimento, mas essa não é uma questão importante neste momento e sim entender todo o Projeto Gaia.

Continua.....

Pesquisa no Livro Projeto GAIA 2012
Hwee-Yong Jang

Muita proteção e luz a todos!!!

Grande abraço,
EU SOU O EU SOU
Namastê
04/06/09
SOL777

1